Burnout na contabilidade: como identificá-lo e combatê-lo

burnout na contabilidade

O Burnout, também conhecido como Síndrome do Esgotamento Profissional, é uma doença ocupacional e descreve um estado de exaustão física, emocional e mental como resultado do estresse crônico no local de trabalho, especialmente em ambientes que exigem altos níveis de desempenho e responsabilidade, muito comum na contabilidade. 

Originário da década de 1970 e criado pelo psicólogo Herbert Freudenberger, o termo foi inicialmente usado para descrever as consequências do estresse severo e altas idealizações em profissionais de “ajuda” como médicos e enfermeiros.

Hoje é amplamente reconhecido em diversas profissões, em todos o setores. Entender o Burnout e combatê-lo é dever de todas as empresas que não só priorizam o bem-estar dos colaboradores como também aumentar a rentabilidade do negócio.

Doença ocupacional x Doença do trabalho: qual a diferença?

Doença ocupacional é uma condição crônica resultante da exposição contínua a riscos associados a certas profissões, como asbestose em trabalhadores que lidam com asbesto ou LER em digitadores.

Essas doenças, geralmente previsíveis, decorrem de ambientes de trabalho perigosos ou insalubres.

Já a doença do trabalho refere-se a condições de saúde adquiridas devido a circunstâncias específicas e atípicas no trabalho, como um trabalhador de escritório que desenvolve problemas respiratórios após uma exposição acidental a químicos.

Essas doenças não são inerentes à ocupação, mas estão diretamente ligadas a incidentes particulares no ambiente de trabalho.

Identificando os sinais de Burnout

Reconhecer os sinais de burnout é fundamental para intervir efetivamente antes que o esgotamento se agrave.

Para gestores de contabilidade, entender esses sinais pode ajudar a implementar estratégias preventivas e de suporte para a equipe.

O burnout não se manifesta da noite para o dia; ele se desenvolve gradualmente e pode ser identificado por uma série de sintomas físicos, emocionais e comportamentais.

Quais os sintomas do Burnout?

Sintomas físicos

  • Fadiga extrema: mesmo após uma noite de sono ou um período de descanso, a pessoa pode se sentir constantemente cansada e sem energia.
  • Dores e desconfortos: dores de cabeça frequentes, dores musculares e problemas gastrointestinais.
  • Alterações no apetite ou sono: podem ocorrer insônia ou hipersonia (sono excessivo), bem como aumento ou perda de apetite.

Sintomas emocionais

  • Sentimento de desesperança e desilusão: o indivíduo pode se sentir desmotivado e pessimista quanto ao seu papel e futuro na profissão.
  • Ansiedade e depressão: sentimentos de tristeza persistente, ansiedade ou mesmo depressão podem se manifestar.
  • Irritabilidade: a pessoa pode ter uma tolerância menor a frustrações, frequentemente se irritando facilmente com colegas ou clientes.

Sintomas comportamentais

  • Retirada social: a tendência a se isolar, reduzindo a interação com colegas e familiares.
  • Procrastinação e desempenho reduzido: dificuldade em cumprir prazos ou realizar tarefas habituais com a mesma eficiência de antes.
  • Cinismo e negatividade: um aumento do cinismo no trabalho, com uma visão negativa sobre as tarefas e as relações no ambiente profissional.

Impactos do Burnout na produtividade e no bem-estar pessoal

Burnout é mais do que apenas um problema individual; suas repercussões se estendem ao ambiente de trabalho e à vida pessoal, afetando diretamente a produtividade e o bem-estar pessoal.

Para gestores de contabilidade, é crucial compreender esses impactos para manter a eficiência da equipe e promover um ambiente de trabalho saudável.

Impacto na produtividade

Burnout pode levar a uma significativa queda na produtividade. Os colaboradores afetados frequentemente experimentam uma diminuição na concentração e na eficiência, dificultando a execução de tarefas com a qualidade e a velocidade habituais.

Isso não só afeta o volume de trabalho que podem gerenciar, mas também a precisão e a atenção aos detalhes — responsabilidade essencial na contabilidade.

Redução da qualidade do trabalho

A exaustão mental e física leva a erros mais frequentes e a uma maior taxa de retrabalho, que podem ter consequências graves, incluindo problemas legais e financeiros para a empresa devido a relatórios financeiros imprecisos ou declarações fiscais mal elaboradas.

Aumento do absenteísmo

O burnout também está associado a um aumento no absenteísmo.

Funcionários que enfrentam esgotamento são mais propensos a tirar dias de folga devido a problemas de saúde relacionados ao estresse, o que pode interromper o fluxo normal de operações contábeis e sobrecarregar outros membros da equipe.

Problemas de saúde física

Os sintomas físicos do burnout, como dores de cabeça, fadiga crônica e problemas digestivos, podem se tornar comuns e persistentes.

A longo prazo, o estresse contínuo pode contribuir para problemas de saúde mais graves, como doenças cardíacas e hipertensão.

Deterioração da saúde mental

Emocionalmente, o burnout pode levar a condições como depressão e ansiedade.

O sentimento de fracasso e desesperança pode afetar todas as áreas da vida de um indivíduo, não apenas sua carreira.

Isso pode deteriorar relações pessoais e a qualidade geral de vida, levando a um ciclo vicioso de saúde mental em declínio.

Efeito cascata em relacionamentos pessoais e profissionais

Os efeitos do burnout também podem se estender aos relacionamentos pessoais e profissionais.

A irritabilidade e a retirada social podem causar tensão em amizades e em relações familiares e prejudicar a dinâmica da equipe no trabalho.

Causas específicas de Burnout na contabilidade

O burnout em contabilidade pode ser atribuído a uma variedade de fatores específicos do ambiente de trabalho e das exigências da profissão. Esses fatores incluem:

Pressão de prazos fiscais e carga de trabalho durante o fechamento de balanços

Contabilistas frequentemente enfrentam prazos rigorosos, especialmente durante os períodos de fechamento de balanços, na temporada de declaração de impostos e nos lançamentos contábeis.

Esses momentos exigem horas prolongadas de trabalho e um alto nível de precisão, o que pode levar a uma pressão intensa e, eventualmente, ao burnout.

A necessidade de cumprir com prazos legais e fiscais, muitas vezes sob condições de estresse, pode resultar em uma carga de trabalho insustentável.

Complexidade das regulamentações fiscais e expectativas de conformidade

A contabilidade é regida por um emaranhado de leis e regulamentações que podem mudar frequentemente.

Manter-se atualizado com essas mudanças e garantir a conformidade exige uma vigilância constante e um aprendizado contínuo, o que pode ser exaustivo mental e emocionalmente para os profissionais da área.

Estratégias para prevenção de Burnout na contabilidade

Para combater o burnout, várias estratégias podem ser implementadas, focando tanto na gestão individual quanto no apoio organizacional:

Técnicas de gestão de tempo e priorização de tarefas

Uma chave para prevenir o burnout é melhorar a eficiência através de uma gestão de tempo eficaz e a habilidade de priorizar tarefas.

Isso envolve o reconhecimento das tarefas que são urgentes e importantes, e lidar com elas de maneira proativa.

Ferramentas como listas de tarefas, calendários e aplicativos de gerenciamento de projetos podem ser extremamente úteis.

Ferramentas e recursos para gerenciar o estresse

Disponibilizar ferramentas e recursos adequados para o gerenciamento do estresse pode fazer uma grande diferença na saúde mental dos funcionários.

Isso inclui desde programas de assistência ao funcionário (PAE) até workshops sobre técnicas de gerenciamento de estresse.

Baixe o ebook Macetes para agilizar os processos contábeis

A Importância da delegação e trabalho em equipe

Delegar tarefas não apenas reduz a carga de trabalho individual, mas também ajuda a desenvolver as habilidades da equipe, promovendo um ambiente colaborativo.

Um trabalho em equipe eficaz garante que nenhuma pessoa seja sobrecarregada e que o trabalho seja distribuído de forma justa, permitindo que todos contribuam com suas competências únicas.

Estratégias de liderança para promover um ambiente de trabalho saudável

Líderes eficazes reconhecem a importância de cultivar um ambiente de trabalho que priorize o bem-estar dos funcionários.

Estratégias como oferecer apoio visível, estabelecer expectativas claras e justas, e promover a inclusão e a diversidade são fundamentais.

Além disso, liderar pelo exemplo, adotando práticas saudáveis de trabalho e incentivando um equilíbrio entre vida pessoal e profissional, pode inspirar toda a equipe a seguir esses princípios.

Não ignore também o feedback construtivo. É essencial que os profissionais da sua contabilidade recebam uma devolutiva também positiva sobre o trabalho deles.

Essa é uma estratégia simples de realizar e que traz grandes resultados.

lucrar com a mesma equipe contabil

Técnicas de Mindfulness e meditação adaptadas ao ambiente de trabalho

Introduzir práticas de mindfulness e meditação no local de trabalho pode ajudar a reduzir os níveis de estresse e aumentar a concentração.

Sessões guiadas de meditação, áreas designadas para práticas de mindfulness, e até aplicativos focados nessas técnicas podem ser incorporados na rotina diária, oferecendo aos funcionários ferramentas práticas para lidar com o estresse de maneira proativa.

Ferramentas de automação que ajudam na organização e eficiência – Conversor Fivelabs

A automação de tarefas rotineiras e repetitivas pode liberar os funcionários para se concentrarem em trabalho de maior valor, reduzindo o estresse e aumentando a satisfação no trabalho.

O Conversor Fivelabs, por exemplo, é uma ferramenta de automação que pode ajudar na conversão de dados financeiros e contábeis, simplificando processos que normalmente exigiriam horas de trabalho manual e atenção meticulosa aos detalhes.




Aplique essas mudanças hoje na sua contabilidade

Tanto gestores quanto funcionários devem buscar adotar uma postura proativa em relação à saúde mental no local de trabalho.

estores devem estar equipados para reconhecer os sinais de burnout e intervir de forma adequada, enquanto funcionários devem se sentir empoderados para buscar ajuda e utilizar os recursos disponíveis.

Dessa forma, poderão trabalhar para construir um ambiente de trabalho mais saudável e, consequentemente, mais produtivo e rentável.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como podemos te ajudar hoje?